Sex Education é uma série necessária. Entenda!

Sexo ainda é um tabu daqueles que se assemelha à um segredo que todo mundo sabe, mas finge que não. Só que a é verdade é que todo mundo já transou ou transará.

As consequências disso são terríveis e sentidas diariamente por todos, principalmente pelas mulheres. A maioria dos jovens crescem rodeados de filmes, séries, piadas e outras coisas da cultura pop que tratam o sexo de forma grosseira, proibitiva e errada (como o tabu citado acima). Sexualizam tudo que é possível, principalmente quando objetificam a mulher, fazendo com que a maioria desses jovens cresçam e encarem o sexo de forma obscura, praticamente achando errado valorizar o próprio prazer e tratando a/o parceirx como um pedaço de carne onde deposita todas as suas frustações sexuais. Por isso é importante se conversar sobre sexo da forma mais sincera e aberta possível, seja entre familiares e amigos, ou até em produções do audiovisual, como é o caso da nova série da Netflix, Sex Education, que é a produção do serviço de streaming que todo mundo precisava assistir para aprender a respeitar o próximo e, obviamente, se respeitar.
https://www.youtube.com/watch?v=shpb-5tim8k
Sex Education conta a história do inseguro Otis (Asa Butterfield), um adolescente que manja tudo quando o negócio é aconselhar os outros sobre sexo, graças à sua mãe que é sexóloga (Gillian Anderson), mas quando é sobre a sua vida sexual, ele a reprime com todas as suas forças. Quando conhece a rebelde Maeve (Emma Mackey) e mostra o seu dom de ajudar, os dois resolvem se juntar e iniciar uma clínica clandestina de terapia sexual na escola, para aconselhar outros adolescentes que estejam passando por problemas sexuais e não tem com quem conversar.
O que torna a série uma das melhores coisas que a Netflix já fez, não é por ser inovadora no jeito de narrar a história adolescente clichê, nem pela sua excelente fotografia, trilha sonora e elenco, mas por se aprofundar e tratar sexo com muita normalidade e honestidade. Ela consegue ser engraçada sem precisar sexualizar algum personagem, fala sobre temas que nunca são vistos em histórias adolescentes (como ejaculação precoce e problemas com ereção devido a ansiedade pelas pressões socias), lida com o machismo, homofobia e outros desejos que muitos reprimem por medo. Com isso, o público se encontra no meio dos conselhos que Otis dá a outros adolescentes.

Outro ponto que contribui para a pauta sexual levantada é que ela não trata apenas de um tipo de sexo, ela quebra todos os padrões possíveis, mostrando todos os tipos de relações. As próprias cenas de sexo são colocadas na produção de maneira natural e honesta, não há uma sexualização dos corpos, muito menos das mulheres. Inclusive é bem possível que tenha mais corpos masculinos nus do que o contrário, algo quase que inédito em uma produção audiovisual.
A Netflix tem uma receita de sucesso para você se viciar nas séries: sempre tem algum episódio que eles capricham para você viciar. [spoiler] Isso acontece no terceiro episódio, onde Sex Education se atenta a mostrar como funciona o procedimento de aborto (que é legalizado no país cenário da produção). Assistimos tudo pela ótica da personagem Maeve, o que contribui para o capitulo ficar mais denso e triste, mostrando como é a infeliz experiência de tomar uma decisão tão difícil, ainda mais quando se tem 16 anos. [/spoiler] A trilha sonora também contribui para o melancolismo da cena (Smiths machuca o coração de qualquer um).

O elenco é muito bom e todos os atores parecem bem à vontade com os seus personagens, fazendo com que cresça uma química entre eles que agrega muito a história.

Outra coisa que faz os olhos dos telespectadores brilharem é como todos os personagens são estilosos, ao ponto de você passar raiva por dar vontade de ter todas as roupas que eles usam (principalmente as do Eric). A fotografia também brilha muito, com uma paleta de cores impecável, algumas cenas são tão bem construídas que os objetos usados nelas orquestram uma mensagem subliminar ao público (preste atenção no episódio 5). Tudo isso junto à uma trilha sonora tão estilosa, bonita e bem construída ao ponto de também estar encaixada ali para dizer algo.

OLHA ESSE CENÁRIO!

E-S-T-I-L-E-I-R-A

Sex Education é um tipo de série que tem uma primeira temporada tão boa, que dá até medo de ter uma próxima por não manter a qualidade. Mas só de ter construído algo honesto e necessário para dizer ao público jovem, já merece sua estrelinha de uma das melhores coisas que a Netflix já produziu.
Letrux, é você?

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *