A segunda temporada de Atypical voltou cheia de amor. Vem ver o que achamos:

Atypical chegou, de mansinho, ano passado na Netflix e quando percebemos, estávamos assistindo uma das séries mais delicadas e sensíveis do serviço de streaming. Por isso, nós e um montão de fãs estavam MUITO ansiosos para saber se a sua segunda temporada iria seguir o mesmo nível de qualidade e, nos encher de emoção outra vez. Bom, a resposta é sim! A segunda temporada da série retornou em dobro de qualidade, sensibilidade e esse lindo mundo aos olhos do grande Sam.

Com dois episódios a mais que sua primeira temporada, totalizando dez, a série procurou trabalhar mais na melancolia e tristeza nesse ano, principalmente por sua continuação grande estar carregada de consequência dos erros e das descobertas de tudo que ocorreu antes. Então vemos muitos problemas na família Gardner, que vão desde Doug tentando se reerguer depois da traição de Elsa, até Casey saindo do seu conforto e indo para uma outra escola cheia de gente diferente de sua realidade e sendo obrigada se descobrir mais.

Aliás, depois de Sam, Casey é a grande estrela desse ano! A produção procurou trazer todos os problemas que passamos na adolescência de uma vez para a personagem. Então, além de ter de encarar a escola nova, ela tem de encarar a rejeição por ser de uma família mais modesta, ter de equilibrar seus problemas pessoais com ajudar o seu irmão e seus momentos de crises e regras para conviver, se descobrir sexualmente, aguentar o problema dos seus pais e não deixar o seu relacionamento com Evan desmoronar (Ufá!). Não é fácil ser adolescente e encarar tudo e é por isso que a personagem cresce tanto, o telespectador se aproxima do seu lado mais humano e se apega a sua figura tão simpática.

Ainda dentro da família Gardner, vemos alguns personagens evoluir, como é o caso de Doug. Depois da traição sofrida, ele se põe na frente da família e por isso conhecemos mais do personagem, que tinha ficado um pouco apagado na primeira temporada. Por consequência, vemos Elsa tentando melhorar após o erro e notando que passou tanto tempo se dedicando a Sam, que se desligou do seu casamento. Essas mudanças fazem a dinâmica da série melhorar e em todo episódio vemos o que está acontecendo com todos, dando um bom equilíbrio para a história e seu desenvolvimento.

O que dá um novo brilho a esse novo ano é a introdução de novos personagens, além da série dar tempo certo para eles se apresentarem e se desenvolverem, eles também servem para balançar um pouco a vida de todos os antigos. Izzie, nova amiga de Casey, chega para ajudar a personagem se descobrir um pouco, já Bailey faz o mesmo para balançar a vida de Sam, assim como Megan, que traz a Doug um novo sopro feliz na vida. Além disso, Sam também conhece um grupo de apoio para pessoas que possui o transtorno do espectro autista, o que faz com que a série informe mais sobre as pessoas que possuem esse transtorno e ensine de forma descontraída.

Graças a deusa, que a série termina com um grande gancho para uma próxima temporada, nos deixando ansiosos desde já para saber o que mais vamos ver pelos olhos incríveis de Sam. Apesar de ter mais episódio, a nova temporada é tão viciante e encantadora, que passa mais rápido ainda e dá facilmente para você maratonar em uma tarde. Infelizmente, se assim como nós aqui, você se apaixonar mais ainda pela série, terá que esperar ansiosamente mais um ano.

Vem terceira temporada de Atypical. Até logo, Sam. Já estamos com saudades 💔

 

E ai gostou?

Comenta com a gente: